sexta-feira, 31 de julho de 2015

Eliana Jolaya: Meditação para a reactivação da Irmandade da Rosa


RESSUSCITANDO A IRMANDADE DA ROSA

Queridos,

Nesta página eu estou compartilhando meditações, experiências e conhecimento mais intuitivo para celebrar o tempo de compartilhar e inspirar outras pessoas que estão no mesmo caminho.

O que se segue é uma meditação para a reactivação da Irmandade da Rosa que pode ser feito numa reunião de grupo. Desde há alguns meses, tenho reunido regularmente um grupo para ancorar a energia da Deusa uma vez por semana. Normalmente eu escrevo um convite com um programa curto e envio-o por e-mail, ou em um evento no Facebook, com a expectativa clara de que eu vou ter os participantes. Compro algumas rosas antes da reunião e durante a conexão com a Deusa Ísis/Iona, eu penso para mim mesma: "Se ninguém chegar, vou comemorar sozinha com a Deusa. A Deusa irá guiar-nos a todos". Eu digo isto para me tranquilizar da minha decisão incondicional, disposta em ajudar a trazer a harmonia de volta. Sinto a energia amorosa da Deusa e, é maravilhoso como as pessoas são guiadas a virem. Por exemplo, na última reunião nós eramos 3 luzes, 2 mulheres e 1 homem, e foi extremamente poderoso.

Algumas semanas atrás eramos 8 luzes, e esta bela reactivação-meditação veio através de mim, por isso vou partilhá-la aqui.

Na parte da introdução é referido um pilar de luz, este é semelhante ao que Ísis e Cobra partilharam connosco nas meditações durante as suas conferências, bem como, muitas coisas sobre a energia da Deusa, vêm de Ísis e de Cobra. Então eles inspiraram-me muito. Muita gratidão a eles pelo seu trabalho, amor e luz muito apreciadas.




Meditação para a reactivação da Irmandade da Rosa:

1. Visualizamos um pilar de luz branco-dourado proveniente da Fonte, derramando através de todos os nossos corpos: físico, plasmático, etérico (aura/corpo energético), astral-emocional, mental, descendo para o centro da terra.

2. Nós sentimos a luz que flui através de nós entrando no coração da terra. Nós respiramos a luz em todos os nossos corpos. Tudo o que queiramos deixar ir, nós expiramo-lo para fora. Mantemos esta respiração por alguns momentos.

3. Visualizamos um pilar de luz azul vindo do coração da terra, em todo o redor e, através de nós, até entrar na Fonte.

4. Visualizamos a Chama Trina (rosa-azul-dourado) vinda da Fonte, através de todos os nossos corpos e chakras, em redor e, através de nós, até entrar no coração da terra. Nós sentimos a Chama Trina em nossos corações, no coração da terra e na Fonte. Vêmos como ela aumenta até estarmos no meio de uma Chama Trina gigante.

5. Nós visualizamos uma grande nave de luz acima das nossas cabeças, é a nave de Ísis e de Ashtar Sheran. Invocamos à grande Ísis para entrar no nosso corpo físico e em todo o nosso ser. Para invocá-La com a energia apropriada, nós cantamos o mantra OM MANI PADME HUM (pronuncia-se "om mani peme hung") 3 vezes seguidas. (O guia que dirige a meditação é quem canta primeiro para mostrar e, em seguida, todos cantamos juntos este mantra três vezes.)

6. Agora imaginamos Ísis como uma grande rosa vermelha, estando esta rosa vermelha no nosso coração. Concentramo-nos agora sobre a energia em espiral que vem do magnifica Rosa-Ísis na rosa no nosso coração. Nós sentimos a conexão com Ísis, sentimos como a energia se manifesta cada vez mais nos nossos seres, e a rosa em nosso coração ficar cada vez maior. Ela cresce a cada respiração até que é uma rosa tão grande que abraça a totalidade do nosso ser.

7. Nós agora somos um círculo de rosas grandes e, acima de nós, a Rosa-Ísis. Estamos construindo uma grande espiral em conjunto. Como uma galáxia, nós somos o centro e a energia está se ampliando ao longo da nossa cidade como os braços espirais da galáxia. Ela cresce ainda mais, até que fique tão grande quanto o nosso país, cresce até que se torna tão grande quanto o continente e, finalmente, tão grande quanto a terra. Nós sentimos a energia vinda de Ísis, que flui através de nós em espiral e que corre através de todo o planeta, abraçando toda a vida na terra, harmonizando cada desequilíbrio, alimentando tudo com amor e compaixão divina.

8. Nós visualizamos em todo o planeta muitos outros círculos de rosas com a Rosa-Ísis ao meio, e conectamo-nos com elas energéticamente.

9. Agora dizemos o seguinte, o guia é quem diz sempre primeiro, em seguida o grupo repete as frases:

"Com o poder da minha presença EU SOU Estou disposto a ser parte da reactivação da Irmandade da Rosa.
Como o poder da minha presença EU SOU sou testemunha, que hoje (data) e aqui neste lugar (cidade/localidade) a Irmandade da Rosa está sendo activada e activa novamente.
Como o poder da minha presença EU SOU confirmo que estou agora despertando todos os meus conhecimentos e habilidades dos tempos antigos.
Estou disposta a habitar na minha completa presença EU SOU e invocar conscientemente a Deusa Ísis para curar-me a mim mesma, ao planeta e a toda a vida.
Aqui e hoje EU SOU testemunha da ressurreição sagrada dos mistérios da Deusa no planeta Terra, trazendo para a vida todos os seus significados com todo o meu ser.
Aqui e hoje EU SOU testemunha da vitória da Deusa sobre todo o medo, ódio e dúvidas. O amor e o poder da Deusa superou todos os males.
Estou disposta a ser um instrumento do amor divino da Deusa em todos os níveis, significados, espaços e tempos.
Obrigada querida e amiga Deusa Ísis, vamos viver uma existência mais amorosa juntas, agora e para sempre.
Que haja paz, harmonia, felicidade, amor, abundância e alegria para sempre, para todos e para toda a criação."

10. Repetir o mantra Om Mani Padme (3 ou 9 vezes).

- Bênçãos da Deusa para você -




Fonte: Eliana Jolaya (https://eliana17.wordpress.com/2015/05/14/resurrecting-the-sisterhood-of-the-rose/#comments)
Tradução: Rosa de Vénus (arosadevenus@gmail.com)

quarta-feira, 29 de julho de 2015

David Gersten: Cortando os laços que ligam - começando com a figura oito

... Uma Introdução à Obra de Phyllis Krystal

Como podemos libertar-nos dos nossos condicionamentos negativos, de nossos pais, amigos, irmãos e ex-companheiros? Como podemos tornar-nos livres do nosso apego ao dinheiro ou poder? É necessário ou desejável tornarnos livres do apego ao dinheiro ou poder?

A palavra "apego" tem sido amplamente mal interpretada. Podemos ser bilionários sem ser apegados. Quando precisamos de multiplicar o que temos é quando estamos excessivamente apegados. É quando reagimos com raiva da má sorte, da perda de dinheiro que somos mais apegados. Podemos estar totalmente envolvido no mundo e dedicados ao nosso trabalho e aos nossos entes queridos... e ainda sermos livres de velha programação que nos liga ao passado e nos impede de experimentarmos totalmente o presente.

É o objetivo da maioria das terapias para ajudar-nos a aprender a viver no momento, para aprender a amar os outros, aprender a amar a nós mesmos e aprender a perdoar. Quase tudo impresso nas páginas de Atlantis intenta servir estes objetivos... como o trabalho de um terapêuta imaginário muito especial. Estamos felizes por começar a trazer-lhe uma contínua série de artigos sobre a obra de Phyllis Krystal, autora de "Cutting the Ties that Bind" e "Cutting More Ties that Bind". A Sra. Krystal tem desenvolvido uma série de passos que nos ajudam a cortar os laços. Através destas técnicas, ela ajuda-nos a tornar-nos livres dos velhos padrões de pensar, sentir e de se comportar, oferecendo um poderoso conjunto de ferramentas que nos permitem libertarmo-nos do nosso eu inferior, a nossa consciência inferior, e começar a tocar em nossa CS, ou Consciência Superior.

Várias centenas de grupos de "Cortando os laços" foram formados ao redor do mundo onde as pessoas podem cortar os laços num ambiente de grupo. Estes grupos estão florescendo na Holanda, Argentina, Irlanda, Inglaterra, Alemanha, França e um número de grupos já está surgindo nos Estados Unidos. Ao cortarem-se os laços num ambiente de grupo, nenhuma preparação é necessária por causa do poder da energia colectiva do grupo. Ao cortar o laço um-a-um com um guia, tem que praticar-se individualmente a "Figura Oito" durante pelo menos duas semanas antes do corte.

De acordo com a Sra. Krystal, "A Figura Oito" é um símbolo que permite uma pessoa proteger o seu próprio espaço ou território e, ao mesmo tempo, evitar invadir qualquer espaço de outra pessoa. Quando realiza este exercício, é aconselhável ter apenas uma pessoa de cada vez no círculo oposto ao seu próprio, para evitar confundir reações distintas de diferentes pessoas. Veja como funciona a imaginária Figura Oito:


1. Imagine que você está sentado ou de pé num círculo de luz dourada no chão em torno dos seus pés. O raio desse círculo é o comprimento de seu próprio braço com os dedos estendidos;

2. Visualize um outro círculo de luz dourada diretamente à sua frente, do mesmo tamanho do seu círculo, onde apenas se tocam mas não se sobrepõem;

3. Começando no ponto em que os dois círculos se tocam, visualize uma luz azul néon que fluí em redor ao círculo da frente, e no sentido horário até que fique completo;

4. Deixe continuá-lo a fluir em redor do lado esquerdo do seu círculo, em torno da sua volta, em torno do seu lado direito e voltando para onde os dois círculos se tocam até formarem a Figura Oito;

5. Continue a visualizar a Figura Oito de azul néon claro entre dois minutos a uma hora, de manhã e à noite como preparação antes de cortar os laços, ou quando necessário, durante todo o dia, sempre que esteja ciente de que você está tentando controlar alguém, ou quando sente que alguma coisa ou alguém estão tentando controlar a si.

Todas estas imagens devem ser visualizados no chão. Se algum destes círculos parecem flutuar, pergunte à CS (Consciência Superior) como fixá-los firmemente no lugar, no chão, antes de prosseguir com o exercício.

Você pode estar a questionando-se sobre o propósito da luz azul néon. A Sra. Krystal descobriu que esta luz néon tem o efeito do desenhar as projecções de cada pessoa no seu próprio círculo. É um passo importante no sentido de ajudar os dois indivíduos desembaraçarem-se. A luz azul néon também ajuda a manterem-se livres da invasão ou controlo um do outro.

Se você está praticando a Figura Oito em preparação para cortar os laços com alguém que foi um grande abusador de você, você pode achar que ele não vai ficar parado no seu círculo. Você terá que usar a sua imaginação para encontrar maneiras de mantê-lo no seu círculo. Isto é muito importante, porque durante esta duas semanas ao praticar a Figura Oito, você está começando a esclarecer os limites entre você e a outra pessoa. Então você poderá ter que encontrar formas criativas de mantê-lo no seu círculo. Talvez você terá de alargar o círculo para cima de forma a criar um cilindro... ou talvez você terá de "construir" uma caixa alta em vidro. Talvez você ainda tenha que colocar uma tampa na parte superior da figura. Talvez você tenha de pregar por baixo a base dessa figura. Por exemplo, um paciente meu enquanto praticava a Figura Oito em preparação para cortar os laços com o seu pai, "viu" um tigre na Figura Oito. Ele teve que erguer praticamente uma fortaleza para manter o tigre dentro, então ele aparafusou dois pés de acrílico grosso ao cilindro num leito rochoso e profundo, com pregos longos e rebites para que ele ficasse bem firme. Ao visualizar o tigre na Figura Oito, despertaram-lhe sentimento tão intensos que ele começou a recordar pesadelos que teve quando era criança.

Depois de praticado a Figura Oito durante duas semanas, você estará pronto para cortar os laços que unem. Ao longo das próximas edições de Atlântida, veremos mais e mais profundamente o processo de cortar os laços. Mas antes de começar, há algo muito importante para você saber. Ao cortar os laços, você não está a livrar-se de um relacionamento. Por exemplo, ao cortar os laços com a sua mãe ou pai, isso não significa que você pára de ter um relacionamento com eles. Isso significa que você conscientemente passou por um processo em que você percebeu como você estava sendo obrigado, então você liberta ou cortar esses laços para que essas relações possam crescer numa direção saudável. Cortar os laços permite que você se torne livre... livre de se sentir controlado, livre da mágoa, livre da raiva, livre para seguir em frente na vida e vivê-la ao máximo.

E lembre-se, a Figura Oito é apenas o esquentar, a preparação. Você não está cortando os laços ao praticar a Figura Oito. Você vai aprender como realmente corta os laços na nossa próxima edição.

Mas não pense que neste esquentar a Figura Oito seja ineficaz. É uma técnica comprovada e verdadeira que tem sido utilizada com sucesso por uma década.


Fonte: Dr. David Gersten (http://www.imagerynet.com/ties/ties.html)
Tradução: Rosa de Vénus (arosadevenus@gmail.com)

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Aumento da frequência vibracional para a Consciência Superior

Abrir-se ao Amor é Unificar-se à Consciência Superior e reconectar-se com a essência Cósmica em Deus/Deusa, FONTE de tudo que É.


Paige Bartholomew: 11 verdades espirituais de uma alma desperta

 
Nós adultos nascemos num mundo saturado e antigos paradigmas de dogma religioso. De muitas maneiras, esses ensinamentos eram muito bonitos no seu tempo. Mas a humanidade precisa agora de algo mais. Por quê? Porque estamos evoluindo. O "Grande Despertar" que toda a gente está falando é um novo nível de verdade que a humanidade está começando a sentir e a conhecer. 

Esta é a nossa jornada da cabeça para o coração. É a viagem da consciência do "eu" para a consciência de "nós".

Neste artigo vou estar a referir-me a Tudo Que É como "Deus". Por favor, sinta-se à vontade de substituir este nome pelo termo com o qual você se sinta confortável.

Cresci num seio cristão: Igreja ao domingo, escolas religiosas... de todo um pouco. Esses ensinamentos eram muito tradicionais, e até mesmo conservadores. Aprendi muito e recebi uma base sólida de entendimento espiritual. Eu aprendi que Deus é amor. Aprendi a tratar o meu próximo como eu gostaria de ser tratado. Aprendi a dar, a ajudar e a servir. Aprendi a orar. Foi uma bela educação que talhou aquilo que eu sou.

Quando fiquei mais velho, comecei a perceber que minha compreensão de Deus não era realmente tão reconfortante para mim tal como a minha religião prometeu. A minha visão de Deus como punidor/recompensador estava-me causando dor e impedindo o meu crescimento.

A minha ideia de inferno sentia-a assustadora, e as minhas orações não estavam trazendo os resultados como haviam se sido ditos.

As minhas crenças tradicionais faziam-me por vezes sentir mal comigo mesmo, com o mundo, e sobretudo, com o próprio Deus. Eu estava desconfortável. Sentia-me culpado. Eu via-me como um fracasso. Estava zangado com Deus e sentia-me preso no meu corpo e preso a este lugar difícil chamado Terra.

Nesse ponto, eu tive duas maneiras de ver as coisas.

Ou estava fazendo mal a mim mesmo, errado e indigno (de novo), ou eu estava indo para expandir a minha noção do que é Deus. Então comecei a procurar no meu coração pelas novas respostas.

Tive um grande despertar. O meu coração abriu-se e eu comecei a ver o mundo, Deus, eu e os outros seres humanos sob uma nova lente com vasta expansão de aceitação e amor. À medida que continuamos abrir mais para Verdade, notamos que chegamos a várias estações de consciência ao longo do caminho.


O Grande Despertar está abrindo o coração da humanidade para o máximo grau. E, a partir desse estado aberto, novas e inspiradoras realizações estão surgindo sobre as pessoas, sobre a natureza de Deus, a realidade, o universo, e os seres sencientes em todos os lugares. Essas ideias expandidas são a vanguarda da consciência humana no nosso tempo moderno.

Quando o coração desperta, ele CONHECE coisas novas. Esses insights são o natural resultado da floração do chakra do coração. A seguir estão as 11 Verdades espirituais centrais que emergem num despertado, coração.

1) Deus (TUDO o que É) é o nosso criador. Ele é amor puro. Ele é capaz de apresentar-se pessoal para os seres humanos, mas Ele é, ao mesmo tempo, impessoal, eterno e insondável. Ele é tudo o que está em todos os níveis da existência, física e não-física. Deus e sua criação são UM. Aqui está apenas um ser.

2) Deus criou primeiro a humanidade, então NÓS criamos o mundo e todo o drama que estamos experimentando nele.

3) Todo o mundo que vemos é um sonho. Na realidade estamos ainda com Deus, no céu - seguros - e estamos sonhando com tudo isso.

4) Tudo o que experimentamos na vida é um espelho das nossas próprias crenças internas. Deus não se envolve nesse processo. Ele simplesmente permite que isso aconteça porque nós o sonhámos. Este é o significado de "livre arbítrio".

5) Deus não premiar ou castigar-nos. Nós fazemos isso para nós próprios, por julgarmos a nós mesmos como "bom" ou "ruim". Deus simplesmente ama e aceita-nos em tudo o que escolhemos ser, pensar ou sentir.

6) O inferno não é um lugar - é um estado de espírito. É o estado de espírito para onde vamos quando nos desviamos da Verdade. Fez-nos sentir mal porque (equivocadamente) nós acreditamos que estávamos separados de Deus.

7) Não é trabalho de Deus certificar-se se nós sentimo-Lo ou conhecêmo-Lo. Deus está sempre presente. Deus está sempre revelando-Se a nós. É nosso trabalho abrimo-nos à sua presença.

8) A oração é importante mas pode não funcionar da maneira como nos foi ensinada. Deus não concede solicitações. Quando oramos pela ajuda de Deus, abrimo-nos para sermos capazes de sentir a Sua presença. As coisas mudam na nossa vida quando nos abrimos para o Seu amor.

9) Deus está sempre connosco. Ele não nos abandona. Nós é que abandonamos Deus. Sonhamos com um mundo que é assustador e separado, esquecendo que estamos nos braços do nosso amado em todos os momentos.

10) Tal como as religiões tradicionais ensinam, existem mundos mais elevados do que este. Como no filme Inception, esses mundos parecem-se como boneca russas - um sonho dentro de um sonho dentro de um sonho.

11) Para se passar para o próximo mundo após a morte é necessário apenas uma coisa: o perdão. Nós não temos que ser perfeitos. Nós não temos que executar gloriosas façanhas de santidade. Nós não temos de nos punir pelos erros que cometemos. Nós só temos que perdoar. Você saberá quando está fazendo isso porque você vai sentir aceitação de todas as coisas, o que traz uma sensação de tranquilidade. O perdão faz-nos sentir paz. Então, basicamente, a humanidade está à beira de aprender duas coisas:

         1) que nós somos responsáveis pela nossa própria experiência, e
         2) que a única escolha real na vida é senão amar e perdoar, ou não.

Eu tenho o poder de escolha.
Eu posso escolher de vez amar e perdoar-me.

O "Grande Despertar" é o processo de ligar o coração humano à sua plena capacidade. Pela primeira vez, a humanidade está pronta a empenhar-se no centro do coração e a amar-se plenamente, perdoarmos a nos mesmos plenamente, aceitarmos os outros totalmente, e, finalmente, deixarmos de ter vergonha, culpa, e do inferno que estivemos vivendo durante milhares de anos.



Fonte: Paige Bartholomew (http://thespiritscience.net/2015/07/12/the-11-spiritual-truths-of-an-awakened-soul/)
Tradução: Rosa de Vénus (arosadevenus@gmail.com)

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Pamela Kribbe: O Poder do Ventre


O PODER DO VENTRE 
Maria Madalena através de Pamela Kribbe, Junho de 2015

Queridos amigos, eu sou Maria Madalena e saúdo-os com carinho e alegria em meu coração. Vocês são meus conhecidos e me são familiares. Somos almas afins, pois todos seguimos a mesma senda juntos, embora cada um a seu próprio modo.

Hoje gostaria de falar sobre a energia feminina e como ela pode florescer neste momento, porque isto é essencial para a mudança de consciência que a humanidade, como um todo, precisa para seguir adiante. É necessário haver um equilíbrio entre as energias masculina e feminina, tanto no mundo como um todo, quanto na vida de cada indivíduo. A energia feminina há muito foi reprimida, danificada e ferida, e isto levou ao domínio de uma energia masculina unilateral.

À primeira vista, pode parecer que o equilíbrio já foi alcançado: em muitos países, as mulheres têm praticamente os mesmos direitos que os homens. Nessas partes do mundo, elas podem se manifestar com tanta liberdade quanto os homens, desfrutar de uma boa educação, carreira, posição de poder, e são capazes de acumular riqueza. Mas num nível mais profundo, algo está faltando e fora de equilíbrio. O que na verdade acontece quando uma mulher luta por igualdade desta forma, é que ela se apropria da energia masculina de dominação e controle e começa a utilizá-la em seu próprio interesse e ambição. Isto, em si, não é errado, mas a questão é se satisfaz profundamente a alma feminina, assim como a pergunta adicional é se a alma masculina se satisfaz profundamente através do acúmulo de poder e dominação.

Neste momento existem cada vez mais pessoas buscando uma realização mais profunda. Elas desejam viver por inspiração e conectar-se com a Terra e seus companheiros humanos, confiando em seus corações em vez de reagir ao medo. Estes são os ideais que agora tocam os corações dos jovens. A velha energia masculina de controle e coerção já ultrapassou seu tempo de vida; existe uma nova geração que pensa e sente diferente. E nisto reside a oportunidade para a ressurreição da energia feminina, que não apenas inclui a recuperação dos direitos sociais, políticos e de liberdade para as mulheres, mas também uma cura verdadeira dos ferimentos internos profundos, causados à psique feminina.


O que aconteceu à energia feminina no passado? Ela foi despojada de seus direitos e poder de muitas formas, através da violência física e mental. Isto está registrado na História, portanto não preciso falar disto agora. Minha atenção aqui está voltada essencialmente para a maneira que a energia feminina interna foi afetada por esta violência. Se olharmos para a aura feminina coletiva, como exemplificada no campo energético de uma mulher comum, veremos um vazio, um buraco, na área do ventre. A área dos centros de energia inferiores – os chacras raiz, umbilical e plexo solar – tornaram-se vazios, isentos de poder. Muitas mulheres possuem, nesses centros, sentimentos de indignidade, medo e incerteza, dos quais geralmente são apenas semiconscientes.

O poder original e feminino do ventre é o de estar vitalizado e ancorado na Terra. Por sua natureza, a mulher sente-se conectada com a Terra e os ritmos de suas Estações; e a sabedoria do seu coração baseia-se num sentido natural de autoestima. Infelizmente, isto se perdeu ao longo das eras e, sem essa base, sem essa força natural do ventre, a mulher não consegue se conectar de forma equilibrada com o mundo ao seu redor. Com muita facilidade, ela dá demais de si mesma aos outros e perde-se nessa doação, de modo que geralmente é incapaz de assumir seu espaço pessoal e estabelecer limites.

Quando uma pessoa é ferida em sua essência através da rejeição, violência sexual e humilhação, ocorre uma mudança em seu campo energético: sua consciência abandona o ventre, que é a sede da emoção, conexão e intimidade. Quando é doloroso demais estar presente nessa área do seu corpo, a pessoa se desassocia de si mesma e empurra sua consciência para fora do ventre. Sua consciência, então, sobe e se aloja na parte superior de sua aura e, como resultado disto, seus sentimentos ficam embotados, dando espaço para o estabelecimento da depressão, ou de um sentimento de fadiga e de não ter acesso total à sua energia. Além do trauma da violência que ocorreu e a profunda confusão mental que disto se originou, acrescenta-se, então, a tristeza e o vazio de ter perdido a si mesma.

Isto, em suma, é o que acontece com a psique feminina. Embora nem todas as mulheres apresentem este padrão na mesma intensidade, isto ainda é uma tendência geral, que pode ser resumida como se segue:

- O ventre, que é a sede da emoção, sexualidade e intimidade, e está natural e fortemente ligado à Terra, está relativamente vazio. Parece ameaçador estar presente ali, devido à dor que permanece nessa área como uma lembrança, e também devido ao poder que lá se encontra adormecido – defrontar-se com esse poder é assustador!

- Como resultado deste movimento de retirada, criou-se um vazio no campo energético entre os centros de energia superiores e os inferiores, entre a área do coração e a área do ventre.

- A energia do coração, o centro de inspiração e amor, não consegue expressar-se, fluir para fora e conectar-se com o mundo e com outras pessoas. Este fluxo está bloqueado devido a demasiado medo e incerteza ou porque existe uma necessidade de se conectar tão intensamente com o outro, que a pessoa se perde nesse outro e se torna emocionalmente dependente dele.

Mulheres que nunca vivenciaram violência na vida – mental, física e sexual – muitas vezes também apresentam este padrão reativo. Como velhos padrões podem ser trazidos de vidas anteriores, é possível que, no passado, elas tenham sofrido danos em sua energia feminina, os quais ainda precisam ser curados nesta encarnação. Além disto, toda mulher é afetada pela psique feminina em geral, pela imagem predominante de mulher e pelas experiências coletivas do passado. Toda mulher tem que lidar com o que estou descrevendo aqui. Assumir o poder do seu ventre e realmente estar presente em seu coração de forma consistente e autoconsciente, não é fácil nem natural para nenhuma mulher.

Como estamos num momento de transformação de consciência, agora é mais do que necessário curar a ferida energética do ventre. Se você deseja se desenvolver no caminho espiritual e viver a partir do seu coração e sua inspiração mais sincera, vai descobrir que, como mulher, você se depara com medos muito profundos. Não é fácil distinguir-se, tornar-se notável sem entrar em conflitos. Isto leva você a enfrentar questões difíceis relacionadas com autoestima e fidelidade a si mesma. Num certo sentido, lhe é solicitado que, como mulher, você transforme uma parte da dor coletiva de todas as mulheres. Assim, curando sua própria dor, você cria novos caminhos para a consciência coletiva se expandir.


Desenvolver-se espiritualmente geralmente é entendido como abrir o coração, conectar-se com outros através do amor e desapegar-se do ego. Entretanto, para a mulher que precisa lidar com a falta de força em seu ventre, é aí que inúmeras armadilhas a esperam. Se você se conectar com outros sem permanecer solidamente presente em seu ventre, em seu centro, conectada com suas necessidades e verdade, esta ligação com os outros pode rapidamente levá-la à perda da sua própria personalidade e até à exaustão.

Se você for uma pessoa muito sensível, com um chacra cardíaco aberto, que sente facilmente as emoções e o humor dos outros, é bom que tenha uma percepção bem concreta dos seus próprios limites. Para isto você precisa de um ego forte. E quando digo “ego forte”, quero dizer que você precisa de um sentido claro de onde você “termina” e a outra pessoa “começa”. Este sentido lhe permite estar consciente de quando está doando demais, talvez porque queira ser apreciada ou não ouse dizer “não”. Um ego saudável lhe permite perceber clara e perfeitamente o que está acontecendo com você na sua interação com outras pessoas. O sentido da palavra “ego” foi distorcido, passando a representar tudo o que é inferior e precisa ser liberado. Mas para as mulheres, esta forma de autoconsciência e estabelecimento de limites é extremamente importante.

Para os homens, o processo de desenvolvimento é bem diferente. Eles são criados com um tipo diferente de moralidade. Quando meninos, são incentivados a se diferenciar, a competir, a se distinguir. Isto pode ser muito difícil para aqueles que não se sentem à vontade fazendo estas coisas, para os que são naturalmente sensíveis, introvertidos ou quietos. Mas, em qualquer caso, os homens são menos incentivados a se doarem, já que a ambição e agressividade são valorizadas.

Nos homens também existe uma ferida energética causada por experiências do passado. Eles foram separados da sua própria energia feminina, dos seus sentimentos e intuição, e vivenciam isto como uma perda de alegria, emoção e conexão. Existe um vazio no coração dos homens - menos do que no ventre – e este vazio os atormenta tanto quanto o espaço vazio no abdome das mulheres as faz sofrer. Os dois sexos foram prejudicados pelas tradições nas quais vocês vivem, e ambos foram feridos de formas diferentes. Portanto, recuperar a integridade envolve meios diferentes para cada um deles.

Para o homem, a ênfase na abertura do coração é geralmente benéfica. Conectar-se com seus sentimentos, permitir que sua vulnerabilidade se mostre, e reconhecer a energia feminina em si mesmo são fatores fundamentais para a cura do homem. Mas, de certa forma, para a mulher é exatamente o oposto. Para ela, o caminho da autocura é o de ser fiel a si mesma, manter limites claros, admitir sua própria energia masculina, e reconhecer e manifestar seus talentos exclusivos. Energeticamente isto significa levar a energia do coração, da alma, para baixo, até o nível do ventre. Ou seja, descer profundamente à cavidade pélvica, que simboliza a força primordial da energia feminina.

Para a mulher, uma das maneiras de voltar à sua base é lidar mais conscientemente com a raiva armazenada em si. Muitas mulheres reprimem emoções de raiva ou frustração, porque a raiva evoca o medo e faz com que se sintam impotentes. A raiva é ameaçadora porque pode levar a um conflito com outros; e se a mulher não se sentir capaz de se defender e expressar sua raiva, ela se sentirá impotente. Então a raiva pode transformar-se em depressão, passividade ou cinismo.

Entretanto, você pode ver a raiva como um sinal valioso de que algo ou alguém está violando os seus limites e, por isto, você se sente ferida; ela é um sinal que você pode usar para criar uma mudança positiva em sua vida. Acolhendo a raiva, você se leva a sério, o que significa que a força contida na raiva pode ser expressada de um modo positivo. O primeiro passo é não enxergar a raiva como algo ruim e não se condenar por senti-la. Isto é mais difícil para as mulheres do que para os homens, porque elas estão mais acostumadas a negar a si mesmas e entregar seu espaço para outros, em vez de reivindicar seus limites naturais.

É por este motivo que desejo chamar a atenção de toda mulher altamente sensível que está no caminho espiritual… Cuide do poder do seu ventre; assuma-o, permaneça firmemente dentro de seus próprios limites e ouse defender-se. Você tende a associar espiritualidade com amor, luz e conexão. Estes realmente são atributos essenciais, mas uma conexão equilibrada com o mundo ao seu redor depende da sua capacidade de distinguir entre o que é certo e o que é errado para você, de se separar e se desligar quando é preciso, ao invés de fundir-se e conectar-se desnecessariamente. Para isto você precisa valorizar-se totalmente, valorizando suas próprias necessidades, seus próprios talentos e suas próprias emoções – todas elas.


Vivi numa época em que a liberdade de expressão da mulher não era aceita, muito menos valorizada. Eu sentia uma forte ligação com a mensagem de Jeshua Ben Joseph e com a essência da energia Crística. Fui tocada por suas palavras, seu carisma e, naquela vida, voltei-me profundamente para o meu interior, com a intenção de lembrar-me de quem eu era. Havia também em mim uma grande raiva dos poderes que me proibiam de ser quem eu era: uma pessoa independente, poderosa, determinada. Era sempre obrigada a depender de mim mesma e lutava com os sentimentos de impotência e raiva. Meu ventre foi tomado pela energia da frustração, sob a qual se ocultava uma sensação de inferioridade, de falta de confiança em mim mesma. Era minha missão aprender a lidar com minha falta de autoestima e deixar de me importar com os julgamentos de outras pessoas.

Este é o desafio para todas as mulheres. Quando a mulher não está plenamente presente na área do seu ventre, ela tende a doar demais aos outros a partir do seu coração, tende a esvaziar-se no relacionamento com seu amado, seus filhos, seus pais, seus amigos.

Perder-se em outra pessoa é, com muita frequência, sinal de não estar totalmente à vontade consigo mesma, não estar totalmente na sua própria base. Quando predomina uma sensação de vazio ou alienação, é tentador buscar apoio em outra pessoa para acalmar esse sentimento. Aparentemente você faz isto por amor, mas existe outro motivo oculto aí: você precisa do outro para sentir-se aceita e bem consigo mesma. Entretanto, o verdadeiro crescimento espiritual implica em aprender a questionar – “qual é o motivo que me leva a conectar-me com o mundo à minha volta, com meu amado, com meus amigos, com meus filhos, com meus pais?”

Agora, escolha um desses relacionamentos e coloque sua atenção em seu próprio ventre. A partir deste nível, sinta quanto espaço você ocupa neste relacionamento ou quanto você recebe. Por exemplo, imagine seu amado e pergunte internamente: “Sinto-me plenamente aceita na área do meu ventre, quando estou na presença dele?” Faça o mesmo em relação a uma amiga. Inspire profundamente no seu centro, enquanto pensa nela, e sinta sua própria resposta. Você sente que alguma coisa está bloqueando ou impedindo sua respiração? Experimente fazer isto como meditação guiada.

A pergunta chave é: o seu ventre consegue relaxar no relacionamento? Você se sente aceita e é livre para ser você mesma? Ou sente que precisa fazer um grande esforço e portar-se de um modo que não lhe é natural? Talvez se sinta sem energia quando está com a outra pessoa. Neste caso, sua consciência sobe para a sua cabeça e sua percepção abandona sua base, seu ventre.

Quando isto acontecer, não se condene, mas olhe com sinceridade amorosa para o seu próprio medo de ser fiel a si mesma e de assumir o espaço a que tem direito. Ao admitir seu próprio medo, você o transforma. E não faz isto sozinha; o campo energético coletivo das mulheres muda. O que você dá a si mesma beneficia os outros e vice-versa.



Fonte: Pamela Kribbe (http://www.jeshua.net/por/)
Tradução: Vera Corrêa (veracorrea46@ig.com.br)

sábado, 11 de julho de 2015

Untwine: Ferramentas para curar a Anomalia

Através dos nossos implantes etérico e de plasma, nós somos regularmente bombardeados com a anomalia primária.

Esta anomalia nasce fora num acidente ligado aos potenciais quânticos de aleatoriedade, que é a ausência de projecto e das decisões da Fonte.

A Fonte tem vindo progressivamente reintegrando toda a anomalia em harmonia pelo uso da Vontade Divina. Nós todos somos a Fonte criadora, e, é o aspecto mais puro dentro de tudo. Não é algo algures no céu quem vai descer um dia e decidir mudar as coisas. Todos os seres vivos são ele, e portanto, temos de tomar as decisões.

As decisão de poder são uma das principais chaves para curar a anomalia, reconectando com o projecto da Fonte, pelo facto de que nós sermos ele.

Aqui está uma decisão poderosa eu vou repetindo regularmente como um mantra:

"Eu aqui e agora declaro e comando que toda a escuridão, toda a negatividade e todas as suas consequências sejam totalmente banidas e transmutadas de todo o meu ser, em todas as dimensões e planos do espaço-tempo, para a eternidade. Eles nunca podem ser reconstruídos. Esta é a vontade de Fonte e por isso é lei. E, assim é.

Eu aqui e agora declaro e comando que a verdadeira Luz da Fonte está ancorada em todo o meu ser a toda a extensão do poder da Fonte, em todas as dimensões e planos do espaço-tempo, para a eternidade. Esta é a vontade de Fonte e por isso é lei. E, assim é."

Você pode usar isto livremente ou modificá-lo e aplicá-lo da forma que desejar. Eu também utilizo este processo quando estou a realizar o trabalho da rede (n.t. gridwork), nesse caso específico, em vez de dizer "todo o meu ser", digo: "todo este vórtice, todo este lugar, toda esta casa, todo este edifício, etc". Toda a vez que tais decisões forem tomadas, campos de energia quântica são curados a partir de anomalia em harmonia.

Há outras coisas que podem ser aplicadas diretamente nos implantes (ver a localização de implantes nos artigos de Cobra aqui e aqui): Fluxo de água limpa (chuveiro, oceanos, rios etc), óleos essenciais como lavanda ou eucalipto, os quais limpam além do plano físico. E claro, luz, chama violeta, etc.

Você também pode usar frequências sonoras sagradas, usando notas específicas que correspondem a partes específicas do corpo. O efeito é aumentado quando cantando OM junto a estas notas:



Fonte: Untwine (http://recreatingbalance1.blogspot.pt/2015/06/tools-for-healing-anomaly.html)
Tradução: Rosa de Vénus (arosadevenus@gmail.com)

Freddy Ground Crew: Protocolo de Limpeza dos Implantes

Vou apresentar aqui um protocolo muito eficaz que eu criei para apoiar todas as Forças da Luz no processo de remoção de implantes. Eu criei-o usando a minha intuição, mente racional, conhecimento e conexão combinadas com a minha alma.

É importante especificar que ao fazer este protocolo/visualização uma vez, os implantes não serão removidos, mas ao fazê-lo regularmente, nós estamos apoiando significativamente as actuais operações das Forças da Luz destinadas à eliminação desses implantes de forma permanente. Também é importante especificar que estamos aqui a falar de implantes etéricos/plasmáticos e não físicos; como Cobra explicou numa de suas primeiras mensagens, no passado Junho de 2012, os implantes físicos não são mais um problema:

"Haviam também implantes físicos. Os implantes físicas eram muito populares na Atlantida, mas foram interrompidos após a queda da Atlântida ter acontecido. Houve uma tentativa de reintroduzir os implantes físicos após a II Guerra Mundial, com biochips físicos que foram colocados na grande maioria dos seres humanos através de programas de vacinação. Esta é a principal razão pela qual a OMS (Organização Mundial de Saúde) fez a vacinação obrigatória. Os biochips físicos reforçam outra programação, mas foram com sucesso completamente pagados da população humana à cerca de dois anos atrás com uma tecnologia especial que poderia ser operada à distância, desenvolvida pelo Movimento de Resistência. Portanto, temer sobre o planeamento da OMS em microchipar a população humana, isto não se baseia na realidade uma vez que a população já foi microchipada e esses mesmos biochips foram removidos sem que ninguém desse realmente conta".

Antes de apresentar este protocolo, sugiro também que leia este outro publicado anteriormente pelo Cobra, onde ele explica sobre os implantes e como eles funcionam: http://www.2012portal.blogspot.com/2013/10/planetary-situation-update-etheric-plane.html

Também estou adicionando mais algumas informações sobre os implantes que Cobra lançou recentemente na Conferência Breakthrough (n.t. Compressão de Ruptura) em Nápoles, e que não está presente no artigo acima. Por exemplo, ele mencionou sobre um quarto implante localizado por trás do pescoço ligado à coluna vertebral.

- Implante por trás do pescoço: nem toda gente o tem, mas uma grande parte da população humana sim; é responsável por desencadear medos, especialmente o medo de sobrevivência;

- Dois implantes na testa: toda a população humana tem estes dois; eles mexem com o pensamento e os processos na tomada de decisão;

- Implante no plexo solar: toda a população humana o tem; ele está localizado dois ou três dedos acima do umbigo. Este implante interfere com a kundalini e a energia sexual.

Protocolo/visualização:

Visualize que segura em cada mão um pauzinhos de luz dourada; em seguida, visualize a estrutura geométrica tal como aparece na imagem abaixo:

Esta estrutura é uma câmara electromagnética cuja a finalidade é proteger o implante. Nós agora intervimos em cada nó dessa estrutura (A, B, C, etc.) de modo a desfazê-la com os nossos dois pauzinhos, destruturando a câmara e fazê-la colapsar. Uma vez que o implante (que é um micro buraco negro) esteja desprotegido, vamos visualizar luz brilhante branca vinda da Fonte incidir sobre o implante até que este desapareça. 

Eu trabalho cada implante de forma independente, uma vez que o primeiro implante desapareça passo para a próxima estrutura geométrica. Eu sugiro que comecem com o de atrás do pescoço, em seguida, os dois na testa e, finalmente, o do plexo solar.

Você também pode fazer esta visualização em uníssono com a sua alma gémea; neste caso, visualize-se a trabalhar nos implantes dela, enquanto ela trabalha nos seus. Quando estiver a trabalha sobre o plexo solar, visualize que está fazendo amor com sua alma gémea após esta câmara ter entrado em colapso. Visualize a luz que vem da Fonte descendo sobre o implante enquanto você se Funde com sua alma gémea.

Vitória da Luz,
Freddy Ground Crew

Nota tradutor: Pode ver o exemplo neste video publicado por Smaly7.


Fonte: Recreating Balance (http://recreatingbalance1.blogspot.pt/2015/05/implants-clearing-protocol.html)
Tradução: Rosa de Vénus (arosadevenus@gmail.com)